revistafilantropia 460px

 

 
 
Thais Mendes Iannarelli

Thais Mendes Iannarelli

A BrazilFoundation lançou a segunda edição do Prêmio de Inovação Comunitária, iniciativa criada em 2016 com foco no financiamento de iniciativas informais (OPs) identificadas pela Rede de Lideranças da Fundação.  Este ano, o processo envolve 20 organizações já apoiadas pela BrazilFoundation de 14 estados brasileiros.

Os objetivos principais do Prêmio são democratizar acesso a recursos, testar a ideia de que organizações financiadas podem também ser financiadoras (além de executarem programas), incentivar o protagonismo e a liderança e criar um ecossistema que incentive a inovação e a descoberta de novas tecnologias sociais, aproveitando a sabedoria e o conhecimento da rede de parceiros da BrazilFoundation em seus respectivos territórios e áreas de atuação.

OP significa “Outra Parada”, nome carinhoso dado pela BrazilFoundation à iniciativa informal, individual ou coletiva, que atua para transformar pessoas e comunidades. Indivíduos ou grupos proponentes precisam se inscrever por meio de uma das Organizações Madrinhas listadas no edital da premiação. Essas organizações vão identificar iniciativas junto ao público alvo ou nos territórios onde atuam e serão responsáveis pelo repasse dos recursos, monitoramento, apoio e mentoria. As OPs não podem possuir CNPJs, constituir associações, institutos e nem cooperativas.

Vinte Organizações Madrinhas em 14 estados estão participando desta segunda edição do Prêmio. Cada Madrinha pode inscrever até 5 iniciativas, e 3, no total, serão financiadas. Para participar da seleção, as OPs devem gerar resultados para além dos indivíduos proponentes e suas famílias, responder de forma clara a um determinado tipo de problema social, estimular o protagonismo e a liderança e incentivar a descoberta e teste de novas abordagens e tecnologias sociais.

Indivíduos ou grupos proponentes precisam se inscrever via uma das Organizações Madrinhas listadas no regulamento completo do prêmio e preencher o formulário de inscrição disponível no site da premiação. As propostas serão avaliadas por uma banca composta por líderes das Organizações Madrinhas e pela BrazilFoundation.  

O resultado será conhecido no dia 22 de fevereiro e as selecionadas vão receber um prêmio de R$ 5.000,00, além de renovação de apoio e integrarão a Rede de Lideranças da BrazilFoundation. Participarão, ainda, dos workshops de capacitação em 2018. Um representante da iniciativa com mais votos ganhará uma viagem para os EUA junto a um representante da Organização Madrinha, para compartilhar experiências.

Fonte: BrasilFoundation

A Oi e o Oi Futuro anunciaram a abertura da 14ª edição do Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados. As inscrições podem ser feitas até o dia 10 de fevereiro por meio do site do Oi Futuro. O programa destina recursos para financiamento total ou parcial de projetos aprovados em leis estaduais de incentivo à cultura seguindo duas linhas de seleção: uma para iniciativas de todo o país e outra voltada para a programação dos centros culturais do Oi Futuro no Rio de Janeiro. 

Desde 2003 o programa investe e apoia projetos de diversas naturezas que já atraíram mais de 6 milhões de pessoas de todo o país. Por meio da iniciativa, a Oi quer fomentar a produção artística inovadora, especialmente no campo da convergência entre arte, ciência e tecnologia, potencializando conexões e experiências que impulsionem novas ideias e experiências coletivas singulares; promover oportunidades de cocriação, gerando interações que se caracterizem na participação ativa do público; estimular a circulação da produção cultural brasileira por meio do fomento à geração de conteúdo digital multiplataforma; além de trabalhar acessibilidades para a ampliação de um público diverso e irrestrito.

Este ano, a grande novidade é a flexibilização na forma de inscrição e de seleção de projetos.  Nesse modelo de apresentação de propostas, não há divisão por categorias ou compartimentações entre as áreas culturais, valorizando a convergência de linguagens e a conexão entre pessoas e ideias. A mudança tem como objetivo estabelecer uma rede efetiva com os realizadores, para a promoção de trocas artísticas e de visões estéticas, abrindo espaço para novos modelos de produção.

“Com este edital, a Oi reafirma seu compromisso com a cultura brasileira e com a inovação, pois estamos sempre atrás de novas ideias, de propostas que nos surpreendam”, diz Roberto Guimarães, gestor de Cultura do Oi Futuro. “Valorizamos as ideias coletivas e individuais, buscamos a aproximação entre as pessoas e o estímulo ao compartilhamento de olhares, conhecimentos e vivências. Sonhamos com novos públicos, com todos os públicos”, completa.

A escolha dos projetos conta com a participação de uma comissão de seleção independente, composta por especialistas de distintos campos do conhecimento e de origem regional diversa, e envolve também a participação de profissionais do Oi Futuro e da Oi. O resultado será divulgado no site do Oi Futuro, em data ainda a ser definida.

O Edital de Cultura 2017/2018 completo está disponível no site. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 08000-251532 ou pelo e-mail  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

Fonte: Gife

Companhia aérea oficial do Fórum Interamericano de Filantropia Estratégica (FIFE 2017), a LATAM está dando desconto de 25% no valor das passagens para os participantes de qualquer lugar do Brasil. O evento terá sua quarta edição realizada entre os dias 4 e 7 de abril, em Foz do Iguaçu (PR).

O FIFE 2017 terá muitos assuntos relevantes para a gestão do Terceiro Setor, como contabilidade, comunicação, legislação, voluntariado, captação de recursos, recursos humanos e tecnologia serão alguns dos temas norteadores do evento.

É possível fazer a cotação e a compra no site do evento!

Confira aqui a Programação

Fonte: Instituto Filantropia

O Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS) divulgou a agenda para as conferências de 2017. Com o tema Garantia de direitos no fortalecimento do Sistema Único de Assistência Social (Suas), os encontros são preparatórios para a 11ª edição da Conferência Nacional de Assistência Social, marcada para dezembro em Brasília.

O período para as conferências municipais vai de 10 de abril a 31 de julho. Já as estaduais devem ser promovidas entre 12 de agosto e 20 de outubro. Delegados – usuários, trabalhadores e representantes de entidades de assistência social, além dos gestores públicos – participarão dos encontros com direito a voz e voto.

A expectativa é o fortalecimento do Suas e o debate sobre a garantia de direitos. Para isso serão elaborados, entre janeiro e abril, conteúdos e instrumentos para orientar os municípios e estados na realização dos encontros.

Cronograma das conferências – 2017

Conferências municipais

de 10 de abril até 31 de julho

Conferências estaduais e do Distrito Federal

de 12 de agosto até 20 de outubro

Conferência nacional

5 a 8 de dezembro em Brasília/DF

Acesse aqui a resolução nº 23/2016 que estabelece as normas gerais para a realização das conferências de assistência social em âmbito nacional, estadual e do Distrito Federal. Leia também o Informe nº 1 com recomendações para os municípios, estados e o Distrito Federal para garantir a acessibilidade nas conferências de assistência social.

Fonte: MDS

Os serviços de saúde locais poderão oferecer mais tratamentos classificados como práticas integrativas e complementares (PICs) utilizando recursos federais. Foram incluídos, nesta semana, novos procedimentos na lista de práticas integrativas do Sistema Único de Saúde (SUS), que abrange recursos terapêuticos baseados em conhecimentos tradicionais. São sete novos tratamentos: sessão de arteterapia, sessão de meditação, sessão de musicoterapia, tratamento naturopático, sessão de tratamento osteopático, sessão de tratamento quiroprático e sessão de Reiki. A inclusão foi realizada por meio da Portaria n° 145/2017, publicada no Diário Oficial da União.

Os procedimentos já são realizados por vários municípios brasileiros, segundo dados do Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade na Atenção Básica (PMAQ-AB), mas, com as inclusões, o Ministério da Saúde poderá acompanhar as ações realizadas em todo o país e, com essas informações, qualificar as ações de cuidado. Além das inclusões, foram também renomeados procedimentos já inclusos no rol das PICS. O objetivo é facilitar a identificação, pelos gestores, dos procedimentos nos sistemas de informação do SUS. As novas nomenclaturas são para terapia comunitária, dança circular/biodança, yoga, oficina de massagem/automassagem, sessão de auriculoterapia, sessão de massoterapia, e tratamento termal/crenoterápico.

A Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) foi criada em 2006 e instituiu no SUS abordagens de cuidado integral à população por meio de recursos terapêuticos, entre eles fitoterapia, acupuntura, homeopatia, medicina antroposófica e termalismo. Atualmente, mais de 1.708 municípios oferecem práticas integrativas e complementares e a distribuição dos serviços está concentrada em 78% na atenção básica, principal porta de entrada do SUS, 18% na atenção especializada e 4% na atenção hospitalar. Hoje, mais de 7.700 estabelecimentos de saúde ofertam alguma prática integrativa e complementar em saúde, o que representa em torno de 28% das unidades básicas de saúde.

Fonte: Agência Saúde

O Projeto Envolver, organizado pelo Shopping Cidade São Paulo e pelo Instituto CCP, vai destinar R$ 100 mil à instituição que apresentar o melhor projeto social para a região do shopping.

O prazo para a inscrição é até 24 de fevereiro de 2017 e qualquer organização social que tenha atuação em conformidade com o regulamento pode inscrever um projeto.

Uma banca de especialistas do Terceiro Setor fará a análise dos projetos e o vencedor será anunciado no dia 11 de abril. Faça aqui o download dos arquivos para inscrição e do regulamento.

Fonte: Shopping Cidade São Paulo

O Empresa Pró-Ética, prêmio que reconhece empresas que estimulam práticas íntegras, já tem definido o período de inscrições da edição 2017 – de 1º de fevereiro a 28 de outubro. O reconhecimento é uma iniciativa do Instituto Ethos em parceria com a Controladoria Geral da União. Em 2016, 195 empresas se inscreveram, um aumento de 101% em relação a 2015. Ao final, 25 empresas foram premiadas, entre elas, 17 associadas Ethos.

O processo de seleção é feito em quatro etapas: avaliação dos requisitos de admissibilidade, análise de perfil, questionário de avaliação e pontuação. O comitê gestor, responsável pela avaliação das aplicações é composto por nove organizações. O processo é baseado na Lei Anticorrupção ou Lei Empresa Limpa (Lei 12.846/2013), que pune empresas por corrupção contra a administração pública.

O prêmio não é uma certificação e não traz benefícios junto ao poder público para as empresas, mas trata-se de um engajamento das empresas em combaterem práticas de corrupção e promoverem um ambiente empresarial mais íntegro e ético. Entre os benefícios do prêmio estão o reconhecimento positivo, a possibilidade de utilização do selo Pró-Ética e uma avaliação detalhada do programa de integridade da empresa de acordo com as legislações vigentes.

Fonte: Instituto Ethos

A Comissão do Esporte aprovou projeto de lei do deputado Professor Victório Galli (PSC-MT) que concede passe livre no transporte coletivo de passageiros para os estudantes que praticam esporte e estão registrados em federações esportivas (PL 5110/16). A proposta cria o programa Passe Livre Atleta, a ser gerenciado pelas secretarias municipais de esporte. Para ter acesso à carteira que dá a gratuidade no transporte coletivo, o atleta deverá comprovar residência no município e matrícula em federação esportiva. Deverá também estar matriculado em escola de ensino fundamental, médio ou superior. Ainda segundo o projeto, o passe livre terá duração de seis meses.

O PL 5110/16 tramita em caráter conclusivo e será analisado agora nas comissões de Desenvolvimento Urbano; de Viação e Transportes; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Fonte: Agência Câmara

Apenas oito homens possuem a mesma riqueza que os 3,6 bilhões de pessoas que compõem a metade mais pobre da humanidade, de acordo com um novo relatório publicado pela Oxfam. O documento Uma economia humana para os 99% mostra que a diferença entre ricos e pobres aumenta a cada edição do estudo, numa velocidade muito maior do que a prevista. Os 50% mais pobres da população mundial detêm menos de 0,25% da riqueza global líquida. Nesse grupo, cerca de 3 bilhões de pessoas vivem abaixo da “linha ética de pobreza” definida pela riqueza que permitiria que as pessoas tivessem uma expectativa de vida normal de pouco mais de 70 anos.

Os números da desigualdade foram extraídos do documento Credit Suisse Wealth Report  2016. Segundo a organização, 1 em cada 10 pessoas no mundo sobrevive com menos de US$ 2 por dia. No outro extremo, a ONG prevê que o mundo produzirá seu primeiro trilhardário em apenas 25 anos. O discurso da Oxfam também mostra que 7 de cada 10 pessoas vivem em países cuja taxa de desigualdade aumentou nos últimos 30 anos. “Entre 1988 e 2011, os rendimentos dos 10% mais pobres aumentaram em média apenas 65 dólares (US$ 3 por ano), enquanto os rendimentos dos 10% mais ricos cresceram uma média de 11.800 dólares – ou 182 vezes mais”, aponta o documento.

A sonegação de impostos, o uso de paraísos fiscais e a influência política dos super-ricos para assegurar benefícios aos setores onde mantêm seus investimentos são outros destaques do documento da Oxfam.

Fontes: Oxfam / Observatório do 3º Setor

Terça, 17 Janeiro 2017 18:00

Programa VAI está com inscrições abertas

A Secretaria de Cultura da Prefeitura de São Paulo lançou o edital do Programa para a Valorização de Iniciativas Culturais (VAI), que chega à 14a edição. O VAI 2017, que oferece apoio financeiro de até R$ 80 mil, é voltado para grupos e coletivos compostos por jovens ou adultos de baixa renda, atuantes e residentes em qualquer região da cidade de São Paulo desprovida de recursos e equipamentos culturais. O programa também fomenta a criação, o acesso, a formação e a participação do pequeno produtor e criador no desenvolvimento cultural da cidade, promovendo a inclusão cultural e estimulando dinâmicas culturais locais e a criação artística em geral.

Para participar é preciso residir há pelo menos dois anos na cidade de São Paulo e ter, no mínimo, 18 anos de idade. Os interessados podem inscrever suas iniciativas em duas modalidades. A primeira é voltada para projetos de pessoas físicas, com idade entre 18 e 29 anos, cujo orçamento não ultrapasse o valor de R$ 40 mil. A segunda categoria também é destinada a projetos produzidos por pessoas físicas, mas nesse caso é preciso ter histórico de pelo menos dois anos de atuação em localidades sem recursos ou equipamentos culturais, com orçamento limite de R$ 80 mil. 

O cadastro dos projetos pode ser feito pela internet ou pessoalmente em 11 pontos distribuídos pela cidade (endereços completos no edital). Pela internet, é necessário acessar a plataforma Spcultura. O prazo para as inscrições online é até o dia 22 de janeiro. Para as inscrições presenciais, será preciso protocolar o material impresso com todos os documentos e formulários solicitados. Quem optar por fazer a inscrição presencial tem até o dia 24 de janeiro para cadastrar seu projeto. O edital completo, com todas as informações e regras para a participação, está aqui. Para mais informações, envie e-mail para: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e os telefones: (11) 3397-0155/0156.

Fonte: Gife

Pagina 1 de 249