revistafilantropia 460px

 

 
 
Thais Mendes Iannarelli

Thais Mendes Iannarelli

Pesquisa divulgada pela organização internacional de combate à pobreza ActionAid revela que 86% das mulheres brasileiras ouvidas sofreram assédio em público em suas cidades. O levantamento mostra que o assédio em espaços públicos é um problema global, já que, na Tailândia, também 86% das mulheres entrevistadas, 79% na Índia, e 75% na Inglaterra já vivenciaram o mesmo problema. Segundo a pesquisa, que vem a público por conta do Dia Internacional de Cidades Seguras para as Mulheres, 68% das mulheres brasileiras temem serem assediadas no transporte público.

O levantamento foi feita pelo Instituto YouGov no Brasil, na Índia, na Tailândia e no Reino Unido e ouviu 2.500 mulheres com idade acima de 16 anos nas principais cidades destes quatro países. No Brasil, foram pesquisadas 503 mulheres de todas as regiões do país, em uma amostragem que acompanhou o perfil da população brasileira feminina, apontado pelo censo populacional do IBGE.

Todas as estudantes afirmaram que já foram assediadas em suas cidades. Para a pesquisa, foram considerados assédio atos indesejados, ameaçadores e agressivos contra as mulheres, podendo configurar abuso verbal, físico, sexual ou emocional. A Região Centro-Oeste é onde as mulheres mais sofreram assédio nas ruas, com 92% de incidência do problema. Em seguida, vêm Norte (88%), Nordeste e Sudeste (86%) e Sul (85%).

Fonte: ActionAid Brasil

Termina no dia 31 de maio o prazo para as inscrições para o programa Dryland Champions, que recebe projetos que contribuem para o manejo sustentável de solos nas áreas suscetíveis à desertificação no Brasil. Neste ano, o slogan é: “Proteger a Terra. Restaurar os Solos. Envolver as pessoas”.

Promovido pela Convenção das Nações Unidas de Combate à Desertificação (UNCCD, sigla em inglês), em parceria com o Ministério do Meio Ambiente (MMA), o programa contemplará os vencedores com certificados em evento promovido pelo Ministério do Meio Ambiente durante as comemorações pelo Dia Mundial de Combate à Desertificação, em 17 de junho.

Podem se inscrever grupo de jovens e escolas, indivíduos (adultos, jovens ou crianças), agricultores, empresas, organizações não governamentais (ONGs), associações comunitárias e municípios. Os interessados devem enviar o formulário de inscrição para o endereço O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

Fonte: Ministério do Meio Ambiente

O Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida), agência da ONU especializada em desenvolvimento rural, lançou ontem, dia 24, em Brasília, uma estratégia para auxiliar o governo brasileiro na luta contra a pobreza no campo. A Fida vai expandir sua atuação no país e investir em dois projetos com foco na expansão da agricultura familiar na Região Nordeste.

As áreas escolhidas foram as regiões de transição para a Floresta Amazônica, no Maranhão, e a de Mata Atlântica, em Pernambuco. Os dois novos projetos estão atualmente em fase de elaboração. O projeto no Maranhão deve ser aprovado até o fim de 2016 e o de Pernambuco em 2017.

A estratégia do fundo se baseia em estudos da Fida e do Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo (IPC-IG), do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), em parceria com o Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea).

Os estudos indicam que a pobreza e a extrema pobreza são maiores nas áreas rurais do Brasil e destacam o papel da agricultura familiar na redução da extrema pobreza nessas regiões.

O estudo Perfil da pobreza: Norte e Nordeste rurais lembra que, conforme os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), a diminuição do número de pobres no país entre 2004 e 2013 caiu de 20% para 9% da população e a porcentagem de pessoas extremamente pobres passou de 7% para 4%.

Fonte: Agência Brasil

Dia 27 de junho é o prazo final para as inscrições para o “9º Prêmio Zayed de Energia do Futuro 2017”, coordenado pela Masdar, empresa pública de Abu Dhabi voltada ao meio ambiente. Empresas, escolas secundárias e indivíduos de todo mundo podem inscrever projetos de impacto positivo nas áreas de energia renovável e sustentabilidade.

Serão distribuídos US$ 4 milhões entre todas as iniciativas selecionadas. O prêmio é dividido em cinco categorias: grandes empresas, pequenas e médias empresas, organizações sem fins lucrativos, escolas e individual.

O lançamento foi feito no dia 23 pelo cônsul geral dos Emirados Árabes Unidos em São Paulo, Ahmed Al Suwaidi, e pelo secretário de Energia e Mineração do estado de São Paulo, João Carlos Meirelles.

As inscrições devem ser feitas em inglês. Mais informações e inscrições on-line em: www.zayedfutureenergyprize.com/en.

Fonte: Envolverde

As operações da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) para levar abrigo a populações deslocadas estão ameaçadas por um déficit de financiamento de cerca de meio bilhão de dólares. Em resposta à falta de recursos, o organismo lançou uma campanha para arrecadar fundos do setor privado e fornecer habitação para 2 milhões de refugiados.

Com a iniciativa “Nobody Left Outside” (Ninguém do lado de fora, em tradução livre), o ACNUR esperar angariar recursos de indivíduos, empresas, fundações e filantropos para atender a pouco mais de um décimo das pessoas sob seu mandato até 2018. Todos os anos, a agência da ONU adquire 70 mil tendas e mais de 2 milhões de lonas que se tornaram símbolo da resposta às emergências humanitárias. Fora dos campos, o ACNUR também auxilia refugiados a encontrar alojamento e pagar aluguéis em cidades de dezenas de países que fazem fronteira com zonas de conflito.

Estimativas indicam que estas operações custem 724 milhões de dólares em 2016. No entanto, apenas 158 milhões estão disponíveis atualmente. A África subsaariana é a região que mais necessita de assistência, com 255 milhões de dólares, mas somente 48 milhões foram angariados até o momento.

Fonte: ONU

Para capacitar e conscientizar o setor de edificações no Brasil sobre eficiência energética em prédios públicos, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), em parceria com o Ministério do Meio Ambiente, realiza a oficina ‘Eficiência Energética e a Importância da Etiquetagem de Edifícios Públicos’. O evento acontece no próximo dia 31 de maio (terça-feira), em Brasília, no âmbito do projeto “3E – Eficiência Energética em Edificações”.

Atualmente, o setor de edificações responde por mais de 40% do total da eletricidade consumida no Brasil. O projeto quer incentivar o setor público como um indutor da eficiência energética. A iniciativa ainda realizará pelo menos outras quatro oficinas em Fortaleza, São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador, além de cursos e minicursos para o setor privado sobre o tema. Confira o calendário de oficinas clicando aqui.

Fonte: PNUD

Fórum Interamericano de Filantropia Estratégica 2016 reuniu 581 pessoas em Fortaleza e abordou diferente temas da gestão de organizações do Terceiro Setor

 
Nos dias 5 a 8 de abril de 2016 o Filantropia realizou a terceira edição do Fórum Interamericano de Filantropia Estratégica - FIFE, em Fortaleza (CE). O evento foi um sucesso de público e de aprovação! 
 
Dentre os temas abordados, falamos sobre gestão de ONGs em tempos de crise, remuneração de dirigentes, lei 13.019/14, além de aulas ferramentais sobre captação de recursos, comunicação, legislação, contabilidade, RH, voluntariado, dentre outros temas importantes para o dia a dia de qualquer organização.
 
Programe-se para o ano que vem: de 4 a 7 de abril de 2017, em Foz do Iguaçu. As inscrições estão abertas e podem ser feitas AQUI. Afiliados filantropia têm 50% de desconto!
 
Confira aqui como foi o FIFE 2016:
 
vídeoFIFE
www.fife.org.br

O Instituto Filantropia promoverá - de 20 a 24 de junho, em Campos do Jordão (SP) - cinco dias de intenso treinamento sobre normas contábeis aplicáveis, contabilidade e escrituração digital (Sped), prestação de contas, estatutos e regimento, direito do trabalho, imunidades e isenções e normas aplicáveis às parcerias com o poder público (Lei nº 13.019/2014).

Com carga horária de 40 horas e 17 docentes renomados, a “Imersão em contabilidade e gestão legal para organizações do Terceiro Setor” tem o objetivo de levar aos participantes conhecimentos sobre a estrutura e o funcionamento das áreas contábil, jurídica e administrativa das entidades.

O curso, que tratará inclusive sobre o novo Marco Regulatório das parcerias entre estado e organizações da sociedade civil, é considerado imprescindível para os gestores de organizações sociais, e pode significar a diferença entre o sucesso e o fracasso na hora de encampar um projeto, isto porque se tratam de áreas que a todo instante passam por mudanças.

Confira o conteúdo programático.

Fonte: Instituto Filantropia

A nona edição do Prêmio ARede Educa, iniciativa que visa reconhecer, divulgar e estimular projetos em que as tecnologias de informação e comunicação (TICs) apoiem processos de aprendizagem, formais e informais, teve suas inscrições prorrogadas para o dia 10 de junho. Promovida pela Bit Social, a premiação é voltada a educadores, estudantes, gestores, pesquisadores e empreendedores ligados à educação. Podem se inscrever no prêmio projetos e programas desenvolvidos por organizações da sociedade civil e instituições públicas.

A premiação contempla as seguintes categorias: Mídias Sociais, Aplicativos, Games, Programação, Formação de Professores, Plataformas Educacionais, Infraestrutura, Gestão e Educação a Distância (EaD). Além disso, é concedido um prêmio especial para iniciativas que envolvam a produção e/ou a utilização de Recursos Educacionais Abertos (REA) e também um Prêmio Destaque de Inovação para uma startup que desenvolva produto ou serviço de tecnologia digital para aplicação em educação.

Entre os critérios de avaliação estão: inovação; conexão à internet; alinhamento às diretrizes internacionais de acessibilidade; metodologias para documentação e registro; medição de resultados e acompanhamento do projeto; incentivo à interatividade e o desenvolvimento cooperado; e congregue mecanismos de representação comunitária. Os interessados em concorrer à premiação deverão acessar o regulamento e preencher o formulário disponível no site.

Fonte: ARede Educa

Prêmio ARede Educa prorroga inscrições até 10 de junho

A nona edição do Prêmio ARede Educa, iniciativa que visa reconhecer, divulgar e estimular projetos em que as tecnologias de informação e comunicação (TICs) apoiem processos de aprendizagem, formais e informais, teve suas inscrições prorrogadas para o dia 10 de junho. Promovida pela Bit Social, a premiação é voltada a educadores, estudantes, gestores, pesquisadores e empreendedores ligados à educação. Podem se inscrever no prêmio projetos e programas desenvolvidos por organizações da sociedade civil e instituições públicas.

A premiação contempla as seguintes categorias: Mídias Sociais, Aplicativos, Games, Programação, Formação de Professores, Plataformas Educacionais, Infraestrutura, Gestão e Educação a Distância (EaD). Além disso, é concedido um prêmio especial para iniciativas que envolvam a produção e/ou a utilização de Recursos Educacionais Abertos (REA) e também um Prêmio Destaque de Inovação para uma startup que desenvolva produto ou serviço de tecnologia digital para aplicação em educação.

Entre os critérios de avaliação estão: inovação; conexão à internet; alinhamento às diretrizes internacionais de acessibilidade; metodologias para documentação e registro; medição de resultados e acompanhamento do projeto; incentivo à interatividade e o desenvolvimento cooperado; e congregue mecanismos de representação comunitária.

Os interessados em concorrer à premiação deverão acessar o regulamento e preencher o formulário disponível no site.

Fonte: ARede Educa

Todos os anos, as Nações Unidas procuram jovens altamente qualificados que queiram começar a dedicar-se a uma carreira internacional na Organização. Por meio de seu concurso anual, o Programa Jovens Profissionais busca novos talentos para incorporar-se à ONU. Neste ano, o exame será em 14 de dezembro, abarcando duas áreas – assuntos econômicos e tecnologia da informação e sistemas. Os candidatos devem ter 32 anos – nascido em 1º de janeiro de 1984 ou depois.

Se o candidato for graduado no ensino superior, falar inglês ou francês fluentemente, é cidadão de um dos países participantes do programa (acesse aqui a lista), saiba abaixo como participar. Entre os países incluídos estão quatro lusófonos: Brasil, Angola, Cabo Verde e Timor-Leste. O período para se candidatar ao exame vai até 19 de julho de 2016 (23h59, no padrão Eastern Standard Time, EST), de acordo com a habilitação e por meio do portal de Carreiras da ONU.

O exame se dá em duas etapas: uma prova escrita e uma prova oral. A prova escrita avalia o conhecimento substantivo, pensamento analítico e habilidades de redação. Um dos textos (em inglês ou francês) é voltado a todos os participantes, e o segundo texto é dirigido de acordo com a área escolhida, em qualquer uma das seis idiomas oficiais das Nações Unidas (espanhol, inglês, francês, russo, chinês e árabe).

O exame oral, feito apenas por aqueles que passaram no teste escrito, é uma entrevista baseada em competências. Os candidatos aprovados no exame YPP serão colocados em uma lista de reserva para possível recrutamento no nível profissional júnior nas Nações Unidas.

Fonte: ONU

Pagina 1 de 216