Continuam roubando nosso “ouro”

Por: Instituto Filantropia
20 Outubro 2012 - 13h28

O Brasil-Colônia historicamente já nos fez perder riquezas gigantescas aos países que nos “descobriram”. Levaram nosso ouro, nossa borracha, nossas florestas, entre tantas outras divisas que, se aqui tivessem permanecido, nos colocariam em um cenário social e econômico bem diferente do atual.
Agora, é importante que prestemos atenção a um novo tipo de “evasão de divisas”: o da pesquisa científica.
O pesquisador brasileiro – em diversas áreas do conhecimento – vem ganhando notoriedade no cenário científico internacional. Nos últimos 20 anos, políticas públicas que aumentaram substancialmente as verbas destinadas à pesquisa nacional, aliadas a investimentos privados com claros interesses comerciais, fizeram o Brasil sair da posição de simples fornecedor de matérias-primas e riquezas que nossas florestas produzem a um importante império de pesquisa tecnológica e científica. O próprio Ministério da Ciência e Tecnologia já mostrou com números cada vez maiores como o pesquisador brasileiro tem tido influência nas novas descobertas do mundo.
Com a mesma mão que devemos aplaudir essas políticas públicas e órgãos de incentivo à pesquisa como Capes, CNPq, Fapesp e Scielo, devemos segurá-los pelos colarinhos e chacoalhar seus diretores para que se atentem ao fato de que o Brasil está dando de graça esses resultados a editoras internacionais, para que elas usufruam nossas pesquisas e até as usem em outros estudos.
Então, na prática, o pesquisador brasileiro, que é financiado pelo Governo ou pela Indústria Nacional, tem seu trabalho transitando livremente na mão de pesquisadores estrangeiros antes de serem publicados em território nacional. Pior: essas editoras têm ainda o livre arbítrio de querer ou não publicar esses resultados – dados estes que podem ser ponto de partida para um pesquisador de fora iniciar uma nova pesquisa – e receber os méritos, as honras e os royalties daquilo que outrora um brasileiro já havia descoberto.
É fácil imaginar o perigo econômico que isso pode representar. A descoberta de uma nova droga, por exemplo, fortalecerá os cofres da indústria farmacêutica internacional. O desenvolvimento agrário, biotecnológico ou de uma ciência da computação, por exemplo, corre o risco de sucumbir a poderosos países do Hemisfério Norte. E nós, mais uma vez, “chuparemos os dedos”, pois daremos a informação – e seus direitos autorais – para ser publicada lá fora.
Internacionalizar nossa pesquisa e fazer com que ela circule pelo mundo é importante e, evidentemente, importante, já que o Brasil é um dos emergentes que mais crescem no mundo. Mas essa internacionalização deve ser feita de dentro para fora – e não de fora para fora, como vem acontecendo.
É necessário dar um basta nisso! Mandar nossa pesquisa para outro país é querer continuar sendo colônia.
É contribuir com o desenvolvimento dos outros países com a nossa mão de obra “escrava”.

Marcio Zeppelini
editor científico e conselheiro da ABEC –
Associação Brasileira de Editores Científicos.
marcio@zeppelini.com.br

Tudo o que você precisa saber sobre Terceiro setor a UM CLIQUE de distância!

Imagine como seria maravilhoso acessar uma infinidade de informações e capacitações - SUPER ATUALIZADAS - com TUDO - eu disse TUDO! - o que você precisa saber para melhorar a gestão da sua ONG?

Imaginou? Então... esse cenário já é realidade na Rede Filantropia. Aqui você encontra materiais sobre:

Contabilidade

(certificações, prestação de contas, atendimento às normas contábeis, dentre outros)

Legislação

(remuneração de dirigentes, imunidade tributária, revisão estatutária, dentre outros)

Captação de Recursos

(principais fontes, ferramentas possíveis, geração de renda própria, dentre outros)

Voluntariado

(Gestão de voluntários, programas de voluntariado empresarial, dentre outros)

Tecnologia

(Softwares de gestão, CRM, armazenamento em nuvem, captação de recursos via internet, redes sociais, dentre outros)

RH

(Legislação trabalhista, formas de contratação em ONGs etc.)

E muito mais! Pois é... a Rede Filantropia tem tudo isso pra você, no plano de adesão PRATA!

E COMO FUNCIONA?

Isso tudo fica disponível pra você nos seguintes formatos:

  • Mais de 100 horas de videoaulas exclusivas gratuitas (faça seu login e acesse quando quiser)
  • Todo o conteúdo da Revista Filantropia enviado no formato digital, e com acesso completo no site da Rede Filantropia
  • Conteúdo on-line sem limites de acesso no www.filantropia.ong
  • Acesso a ambiente exclusivo para download de e-books e outros materiais
  • Participação mensal e gratuita nos eventos Filantropia Responde, sessões virtuais de perguntas e respostas sobre temas de gestão
  • Listagem de editais atualizada diariamente
  • Descontos especiais no FIFE (Fórum Interamericano de Filantropia Estratégica) e em eventos parceiros (Festival ABCR e Congresso Brasileiro do Terceiro Setor)

Saiba mais e faça parte da principal rede do Terceiro Setor do Brasil:

Acesse: filantropia.ong/beneficios

BAIXE GRATUITAMENTE
E-book Como começar uma⠀ONG

BAIXE GRATUITAMENTE

BAIXE GRATUITAMENTE
E-book 18 PASSOS essenciais para ajudar sua ONG

BAIXE GRATUITAMENTE

EDITAIS
23.290
Oportunidades Cadastradas
9.597
Modelos de Documentos
4.132
Concedentes que Repassam Recursos
Prazo
1 Out
2021
The Land Accelerator - América Latina
Prazo
1 Ago
2021
AAAS Kavli Science Journalism Awards
Prazo
Contínuo
Super Desafio COVID-19 - Startups
Prazo
10 Ago
2021
The Chelsea International Photography Competition 2021
Prazo
5 Jun
2021
Prêmio Excelência em Competitividade 2021
Prazo
15 Dez
2021
Premio Iteramericano a Las Buenas Práticas para el...
Prazo
15 Jun
2021
FAPESP / M-ERA.NET 2021 – Ciência de Materiais e...
Prazo
Contínuo
Adobe Creative Residency Community Fund
Prazo
15 Jun
2021
Professional Fellowship 2021
Prazo
15 Jun
2021
2º Call for Partnerships - Global Media Defence Fund

PARCEIROS VER TODOS