Por que fazer auditoria?

Por: Ivan Pinto
01 Novembro 2008 - 00h00

Auditoria contábil é o método para realizar a constatação da integridade contábil de determinada empresa e/ou entidade. Seu objetivo é validar as demonstrações contábeis a fim de transparecerem as realidades econômica e financeira da instituição, para todos os que dela precisam: associados, funcionários, Fisco, bancos, fornecedores e comunidade em geral.

Para o Terceiro Setor, a auditoria tem uma contribuição extremamente importante e relevante, pelo fato dessas organizações sem fins lucrativos terem o objetivo essencialmente social. Ela traz credibilidade e transparência para certificar as ações, por meio da validação dos números apresentados nas demonstrações contábeis.

Uma empresa de auditoria especializada no Terceiro Setor visa a eficiência dos controles internos, opina sobre as demonstrações contábeis e analisa o cumprimento das obrigações específicas do setor. É uma parceira das entidades filantrópicas na manutenção do Certificado de Entidades Beneficentes de Assistência Social (Cebas), na exatidão e transparência dos relatórios de prestação de contas do INSS e do Ministério da Justiça, e na manutenção na Utilidade Pública Federal das organizações (associações, fundações e ONGs).

A expectativa de mudanças como conseqüência do processo de auditoria alcança a gestão da instituição desde o mais elevado escalão administrativo até os pontos de execução. Assim, durante a auditoria e depois dela são esperadas mudanças comportamentais e organizacionais com o surgimento de novas políticas, novos sistemas (tecnologias e metodologias) e novas atitudes.

A auditoria contábil aumenta a credibilidade das demonstrações contábeis e notas explicativas, assegurando maior transparência às informações sobre as entidades perante os diversos públicos. E, ainda, contribui para o aperfeiçoamento dos sistemas e controles internos, por meio de novas tecnologias e novas metodologias, evitando fraudes e desvios. Esses processos têm algumas exigências, que são bases estratégicas nas causas e efeitos e devem ser vistas com atenção pelas pessoas que convivem com o ambiente auditado.

Portanto, a auditoria contábil funciona como uma ferramenta para auxiliar no processo de aperfeiçoamento das instituições, direcionando-as para se enquadrarem nos princípios fundamentais, nas Normas Brasileiras de Contabilidade e na legislação vigente.

Necessidade de auditoria no Terceiro Setor

As organizações devem assumir uma postura socialmente responsável cada vez maior e, por isso, necessitam elaborar e publicar demonstrações que evidenciem as atividades relacionadas a tal comportamento. Como exemplo, podemos citar o balanço social e o Demonstrativo do Valor Adicionado (DVA).

A auditoria dentro das entidades do Terceiro Setor não busca validar apenas os números contábeis, mas também avalia a destinação dos recursos que são empregados nas atividades sociais ou nos projetos. Além disso, é uma ferramenta necessária para a tomada de decisões em relação à gestão das ações sociais, medindo o impacto da organização na sociedade.

A auditoria contribui com elementos de caráter qualitativo e quantitativo que ajudam a orientar os gestores das entidades no fortalecimento e progresso da sociedade em geral. Assim, deve somar esforços com a diretoria, conselho fiscal e, principalmente, com o contador da instituição, para que se crie um senso de justiça, considerando princípios e padrões que assegurem a consistência das diversas atividades envolvidas, de práticas financeiras e contábeis e de adequado fluxo de informações dentro de padrões éticos e morais. Tudo isso se reflete direta e indiretamente nas demonstrações contábeis e informes financeiros disponibilizados para a comunidade em geral.

 

 

Vantagens

Para a administração da instituição:

  • Fiscaliza a eficiência dos controles internos;
  • Assegura maior correção dos registros contábeis;
  • Opina sobre a adequação das demonstrações contábeis;
  • Dificulta desvios de bens patrimoniais e pagamentos indevidos de despesas;
  • Possibilita a apuração de omissões no registro das receitas, na realização oportuna de créditos ou na liquidação oportuna de débitos;
  • Contribui para a obtenção de melhores informações sobre a real situação econômica, patrimonial e financeira da empresa auditada;
  • Aponta falhas na organização administrativa da empresa e nos controles internos.

Para o Fisco:

  • Permite maior exatidão das demonstrações contábeis;
  • Assegura exatidão dos resultados apurados;
  • Contribui para maior observância das leis fiscais.

Para a sociedade (trabalhadores, população etc):

  • Dá mais credibilidade às demonstrações contábeis da entidade;
  • Assegura a veracidade das informações;
  • Informa o grau de solidez e a evolução da economia nacional (através das demonstrações contábeis).

 

Alexandre Chiaratti. Contador, perito contábil e auditor com mais de dez anos de experiência em entidades do Terceiro Setor, filantrópicas ou não. Sócio da Audisa Auditores Associados, é especialista em Finanças (FGV-SP) e pós-graduado em Gestão de Organizações do Terceiro Setor pelo Mackenzie.

Ivan Pinto. Contador, perito contábil e auditor, com mais de 12 anos de experiência em entidades do Terceiro Setor, filantrópicas ou não. Sócio da Audisa Auditores Associados, é membro do colegiado de auditoria do Instituto dos Auditores Independentes do Brasil (Ibracon), do Instituto dos Auditores Internos do Brasil (Audibra) e do Institute of Internal Auditors (IIA).

 

 

 

 

Tudo o que você precisa saber sobre Terceiro setor a UM CLIQUE de distância!

Imagine como seria maravilhoso acessar uma infinidade de informações e capacitações - SUPER ATUALIZADAS - com TUDO - eu disse TUDO! - o que você precisa saber para melhorar a gestão da sua ONG?

Imaginou? Então... esse cenário já é realidade na Rede Filantropia. Aqui você encontra materiais sobre:

Contabilidade

(certificações, prestação de contas, atendimento às normas contábeis, dentre outros)

Legislação

(remuneração de dirigentes, imunidade tributária, revisão estatutária, dentre outros)

Captação de Recursos

(principais fontes, ferramentas possíveis, geração de renda própria, dentre outros)

Voluntariado

(Gestão de voluntários, programas de voluntariado empresarial, dentre outros)

Tecnologia

(Softwares de gestão, CRM, armazenamento em nuvem, captação de recursos via internet, redes sociais, dentre outros)

RH

(Legislação trabalhista, formas de contratação em ONGs etc.)

E muito mais! Pois é... a Rede Filantropia tem tudo isso pra você, no plano de adesão PRATA!

E COMO FUNCIONA?

Isso tudo fica disponível pra você nos seguintes formatos:

  • Mais de 100 horas de videoaulas exclusivas gratuitas (faça seu login e acesse quando quiser)
  • Todo o conteúdo da Revista Filantropia enviado no formato digital, e com acesso completo no site da Rede Filantropia
  • Conteúdo on-line sem limites de acesso no www.filantropia.ong
  • Acesso a ambiente exclusivo para download de e-books e outros materiais
  • Participação mensal e gratuita nos eventos Filantropia Responde, sessões virtuais de perguntas e respostas sobre temas de gestão
  • Listagem de editais atualizada diariamente
  • Descontos especiais no FIFE (Fórum Interamericano de Filantropia Estratégica) e em eventos parceiros (Festival ABCR e Congresso Brasileiro do Terceiro Setor)

Saiba mais e faça parte da principal rede do Terceiro Setor do Brasil:

Acesse: filantropia.ong/beneficios

PARCEIROS VER TODOS